segunda-feira, agosto 2, 2021
InícioDestaquesMinistro rebate alegações de empresas que trabalham para impedir investimentos no Norte

Ministro rebate alegações de empresas que trabalham para impedir investimentos no Norte

Declaração ocorreu durante audiência pública realizada na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, foi direto ao rebater alegações que correm pelos corredores do Congresso Nacional por parte de duas empresas interessadas em prejudicar a região Norte na tentativa de anular a recente concessão de sete aeroportos. O bloco, capitaneado pelo Aeroporto Internacional de Manaus, foi concedido durante a Infra Week e vai render cerca de R$ 1,5 bilhão de investimentos.

“Estamos com a razão e defendendo o interesse público. Estamos com o bom direito do nosso lado. Não é por outra razão que o ministro Fux decidiu pelo nosso lado, não é por outra razão que o Supremo Tribunal Federal veio do nosso lado, não é por outra razão que o TCU está do nosso lado. Sempre agimos com transparência”, enfatizou Tarcísio de Freitas. A declaração ocorreu nesta terça-feira (22), durante audiência na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados.

Em mais de uma oportunidade, Tarcísio ratificou que o TCU concordou em encerrar a licitação referente ao terminal de cargas do aeroporto de Manaus (AM), em 2018, cujo contrato sequer chegou a ser publicado no Diário Oficial da União. O ministro revelou também que a Polícia Federal está investigando o surgimento de um contrato assinado por parte de uma das empresas.

VALORES – O ministro também derrubou qualquer tentativa de comparação entre os valores oferecidos pelo terminal de carga na época com os obtidos com a outorga que será paga pela concessionária vencedora dos leilões que ocorreram em abril.

“Daquilo que a empresa pagaria para a Infraero em relação ao que a própria Infraero faz na gestão do terminal são R$ 100 milhões de diferença por ano. Em dez anos, R$ 1 bilhão de diferença”, afirmou Tarcísio de Freitas, que questionou aos parlamentares presentes quem ali teria a coragem de assumir um contrato que geraria tamanho prejuízo.

O ministro ainda enfatizou a importância do terminal de cargas do aeroporto de Manaus para o sucesso da concessão realizada em abril pelo Governo Federal e destacou que a região Norte será atendida por um dos maiores grupos de infraestrutura do mundo.

*confira o memorial em anexo para entender o caso

e7

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Most Popular